Festa do Divino Espírito Santo: a maior tradição religiosa de Turmalina

Escolhido pelos festeiros Karina Godinho e Camilo Silva, o tema de 2022, "O Divino da arte na fé", foi pensado como uma forma de homenagear e empoderar os artesãos.

Realizada sempre no mês de julho, as comemorações ocorrem entre os dias 15 a 25. Foto: Reprodução / Marília Cordeiro

Com origem europeia, a Festa do Divino Espírito Santo segue desde o ano de 1945 em Turmalina como uma tradição na cidade - é considerada a maior festa religiosa e cultural local.


Escolhido pelos festeiros Karina Godinho e Camilo Silva, o tema de 2022, "O Divino da arte na fé", foi pensado como uma forma de homenagear e empoderar os artesãos.


"O tema foi muito bem escolhido, os festeiros conseguiram unir a arte à fé... As pessoas se sentem mais valorizadas, empolgadas e contagiadas com tudo o que envolve arte e fé; além de chamar a atenção", expressa João Abel, um dos diversos voluntários que estão ajudando na organização.



Pandemia


Esta é a primeira Festa do Divino após dois anos em quarentena devido à pandemia do Covid-19.


"O importante é que nestes dois anos, nós conseguimos perceber que nascemos para viver em sociedade. Isso faz com que as pessoas tenham uma melhor expectativa com as festas", diz Karina.



Decoração, comunidade e sustentabilidade


As decorações espalhadas pela cidade foram feitas não só pela família festeira, mas também pela comunidade. Montadas com o objetivo de reciclagem em mente, as decorações que enfeitam a cidade serão reaproveitadas logo após o fim das festas.


Um trabalho comunitário foi realizado juntamente com o Grupo Emília Cordeiro e Copa Studio Fit envolvendo catadores de latinha, afim de doar uma cesta básica a cada catador que coletasse plástico.


As decorações foram feitas pela família festeira e pela comunidade. Foto: Reprodução / Câmara Municipal de Turmalina

Casa do Divino


A Casa do Divino é uma exposição aberta a todos e envolve história, arte e cultura. Foi aberta no dia 13 de julho e assim permanecerá até o fim das festas, dia 25 de julho. É oferecido de forma gratuita cafés da manhã e tarde, há músicos alegrando o dia e artesanatos decorativos disponíveis à venda.


De acordo com João Abel, elaborador e organizador da Casa do Divino, "as padarias foram parceiras fundamentais, as serrarias, os demais artistas da terra, o pessoal da paróquia e muitos outros parceiros".


Virgínia Godinho, irmã de Karina, é a cuidadora da Casa do Divino. "Estou muito empolgada com a festa... é um momento muito valioso para mim".


Os artesanatos decorativos disponíveis à venda. Foto: Reprodução / Marília Cordeiro

Homenagens


Em um dos quadros do reinado, um desfile de comemoração pela chegada do Divino, estarão presentes a D. Lilia - uma das mulheres mais importantes para a história da cidade, professores e também uma família, representando o saber dos pais.


"Nós aqui do ocidente somos diferentes dos povos do oriente. Os orientais valorizam as pessoas mais velhas, mas nós não fazemos isso... De certa forma, isso é ruim, pois a base da sabedoria são os mais velhos", explica Karina.


Em conclusão, Karina diz "nada melhor do que homenagear as pessoas mais velhas que nos ensinaram, não apenas a questão do 'dois mais dois', mas sim o ensinar da vida".


Os artesãos que ajudaram na organização da festa também marcam a presença no evento.


Neste ano, como forma de homenagem, a Campanha da Fraternidade falará sobre sabedoria; do ensinar com sabedoria e amor, através do tema “Fraternidade e Educação”.


D. Lilia, uma das mulheres mais importantes para a história da cidade, juntamente com os festeiros. Foto: Reprodução / Marília Cordeiro

Programação


Logo abaixo, a programação da Festa do Divino Espírito Santo.


- De 15 a 23 de julho:

Novena na Igreja Matriz, Praça Horácio Viana, 228 - Centro


- Quinta-feira, 21 de julho:

A partir das 20h – Leilão de Bezerros no Estádio Municipal Pedro Jacques Lopes (fora do gramado), R. Canuto de Quadros, 197


- Sexta-feira, 22 de julho:

22h – Show com Banda Vinil

00h – Show com Banda Uz Homi

03h – DJ Lukinhas


- Sábado, 23 de julho:

05h – Alvorada Festiva

10h – Caminhada da Paz

12h – Véspera no largo da Matriz

16h – Batizados na Igreja do Rosário (R. do Rosário, 268-398)

19h – Buscada da Bandeira e Missa no largo da Matriz

Logo após, hasteamento do mastro e leilão

23h – Show com Banda Barco e Vela


- Domingo, 24 de julho:

9h – Cortejo

11h – Confraternização na Praça da Matriz

14h – Apresentações culturais

15h – Show com Batuk Gustusura e amigos

20h – Show com Kassiano Silva


- Segunda-feira, 25 de julho: Turmalinense Ausente

10h – Missa do Turmalinense Ausente

49 visualizações